10 maneiras de controlar a diabetes, em 2018

A diabetes é uma doença crônica que implica a alteração de estilos de vida, uma alimentação adequada, exercício físico e a utilização de fármacos, pelo que é fundamental que os pacientes aprendam a manejá-la de forma correta para ter uma boa qualidade de vida e evitar possíveis complicações.

Com o fim de melhorar a vida das pessoas com diabetes, em 2018, a assessora da Fundação para a Diabetes, Mercedes Galindo, ofereceu dez dicas para manter um ótimo controle da doença:

1. Aprender a conviver com a diabetes. É importante saber o que é a diabetes, os principais cuidados e fazer as mudanças necessárias para o bom controle. A pessoa com diabetes e seus familiares devem receber educação diabetológica e apoio emocional.

2. Adaptar a alimentação. É semelhante à de qualquer pessoa: repartir os alimentos ao longo do dia, isto é, realizar-se entre três a cinco partes de acordo com características pessoais e pauta de tratamento (pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche e ceia), evitando refeições com uma quantidade elevada de hidratos de carbono ou que sejam de absorção rápida, já que elevam a glicose de forma considerável.

De fato, o cuidado com a alimentação faz parte de seu tratamento, portanto, não se pode falar de tipos de alimentos e as quantidades sem falar também de atividade física que realiza, os medicamentos que toma, ou se tem ou não a outras doenças, como colesterol ou pressão arterial elevada. Em suma, é um conjunto de fatores que devem ser considerados globalmente, e que fazem com que cada pessoa com diabetes tem uma dieta única e personalizada, que deve ser confeccionada com o apoio da equipe de saúde.

3. Manter uma hidratação adequada. As pessoas com diabetes têm maior risco de desidratação, pois um nível elevado de glicose no sangue faz com que os rins tentam eliminá-la em forma de urina. Por esta razão, as pessoas com diabetes tendem a ter mais sede, quando ocorre uma hiperglicemia.

Neste sentido, a água deve ser a base para a hidratação de uma pessoa com diabetes, se bem que existem outras bebidas que ajudam a melhorar a hidratação, como sucos naturais ou sem adição de açúcares, refrigerantes ‘light’ ou ‘zero’ que contêm adoçantes no lugar do açúcar e, portanto, não aumentam a glicemia, bebidas para desportistas ou infusões, mas sempre de forma ocasional.

4. Praticar exercício de forma regular. A prática de exercício físico é um dos pilares fundamentais do tratamento do diabetes e previne as complicações associadas. Seus benefícios são produzidos a muitos outros níveis: melhora os valores de tensão arterial, de colesterol e a função cardiovascular. O tipo de exercício e a intensidade deve ser adaptada à idade e condição física de cada pessoa com diabetes.

5. Realizar o controle de glicose com freqüência e de forma estruturada. A análise dos níveis de glicose no sangue realizado pela própria pessoa ou de um familiar permite conhecer os valores de glicemia em qualquer momento e detectar possíveis complicações agudas, hipoglicemias (descidas de glicose) ou hiperglucemias (aumentos de glicose).

Recomenda-Se realizar entre 5 e 6 controles ao dia, antes de cada refeição e antes de ir dormir, para dispor de informações e ajustar a pauta de insulina ou do tratamento, em geral, se necessário. Se não pratica exercício físico, recomenda-se realizar uma análise antes do início da atividade, alguma medição extra enquanto se pratica exercício físico de longa duração, assim como uma vez terminado.

6. Agir rápido diante de uma hipoglicemia. É comum que, durante uma hipoglicemia comer de forma descontrolada e com grande voracidade. Isso implica uma ingestão diária de hidratos de carbono superior a gramas indicados, que costuma ser a causa de um rebote ou hiperglicemia nas horas subsequentes.

7. Evitar as complicações da diabetes. É importante manter os valores de glicose no sangue e o nível de desempenho antes e depois das refeições. Igualmente, é necessário controlar a pressão arterial e os níveis de colesterol.

8. Realizar revisões oftalmológica. É fundamental que as pessoas com diabetes realizem revisões periódicas, especialmente do estado de retina para prevenir, detectar e tratar com sucesso qualquer tipo de complicação.

9. Cuidar dos pés. As pessoas com diabetes podem apresentar alterações de sensibilidade e de circulação. É importante fazer uma inspeção diária dos pés, verificando a ausência de lesões e visitar regularmente o podólogo.

10. Ser aderente com a medicação. A medicação é uma parte do tratamento que, juntamente com a alimentação e o exercício são pilares fundamentais, por isso é preciso acordar e seguir as recomendações que junto a profissionais de saúde se impuserem. A insulina é a base farmacológica no tratamento da diabetes tipo 1, e vários medicamentos orais e/ou insulina na diabetes tipo 2.