10 ‘superalimentos’ imprescindíveis para sua dieta em 2018

Publicado 09/01/2018 10:59:34CET

MADRID, 9 Jan. (EDIZIONES) –

2018 entra com uma lista de bons propósitos, entre os quais não pode faltar fazer desporto de forma regular e entrar em regime. No entanto, uma dieta rica e equilibrada, os “superalimentos” são imprescindíveis.

Um “superalimento’ define-se pela sua riqueza em nutrientes essenciais como as vitaminas, os minerais e antioxidantes de toda a classe. Além disso, a maioria são de origem vegetal e devem ter um papel na cesta de compra.

Na hora de consumi-los, recomenda-se comê-los crus ou pouco cozinhados para manter todas as suas propriedades. Destacam-se pela sua riqueza em enzimas, vitaminas, minerais, fitonutrientes e fitoquímicos, que ajudam a proteger a saúde.

Por sua vez, têm muitos antioxidantes e oferecem um grande potencial terapêutico e propriedades anti-microbianas e anti-inflamatórias. No entanto, embora não sejam uma possível solução para muitas doenças, podem chegar a ser um bom complemento para a dieta.

Por tudo isso, do Jeito Health identificaram 10 ‘superalimentos” que não podem nem devem faltar na dieta durante 2018:

– Açafrão: o açafrão é utilizado há milhares de anos como ferva medicinal e um agente de coloração. O uso deve-se a medicina tradicional chinesa e a tradição ayurvédica, graças às suas propriedades para melhorar o humor, a depressão, a ansiedade, como afrodisíaco e pelo seu efeito positivo sobre a digestão.

– Rhodiola: numerosos estudos indicam que melhora o desempenho físico e mental e em situações de fadiga, assim como a capacidade de trabalho. Além disso, tem um efeito sobre a depressão e a ansiedade.

– Groselha-negra da Índia (AMLA): é uma planta frutífera que está na Índia e outras partes da Ásia. Seus frutos são classificados como superfruta já que têm uma potente atividade antioxidante e é considerada uma das plantas mais importantes da medicina tradicional indiana.

– Witania: é uma planta muito usada na medicina tradicional da índia, principalmente se você usa sua raiz e seus frutos. Embora seja originária da Ásia, é encontrado em quase todos os climas temperados: Índia, Paquistão, Sri Lanka, sul da Europa e norte de África.

– Papoula californiana: esta planta é utilizada na medicina popular como analgésico e sedativo. De fato, a Agência Europeia do Medicamento (AEM) aprovar o seu uso para o alívio da ansiedade e como ajuda para conciliar o sono.

– Pasiflora: é uma planta indígena que é cultivada no sudeste da América do Norte, na Argentina e no Brasil. Além disso, é cultivada na Europa como planta ornamental. Os índios americanos usavam a pasiflora com fins medicinais para tratamento de insônia e nervosismo. Destaca-se a ulitidad desta planta para aliviar os sínomas ligeiros de estresse mental, irritabilidade e para conciliar o sono.

– Laranja Vermelha: esse tom se deve à presença de Antocianinas em sua composição, trata-se de uma família de pigmentos que é muito raro nos citrinos, isso faz com que a laranja vermelha ter propriedades diferentes das dos limões, laranjas comuns ou as toranjas.

– Uvas: o “Resveratrol” é um conhecido resveratrol, comumente presente na pele da uva. Diferentes estudos indicam que melhora o estresse oxidativo e inflamação, ajuda no controle do diabetes, pode ajudar a retardar o envelhecimento e ajuda na diminuição da gordura.

– Magnésio: é necessário para mais de 300 reações bioquímicas no corpo. Ajuda a manter o funcionamento normal de músculos e nervos, oferece suporte a um sistema imunitário saudável, mantém os batimentos do coração e ajuda a que os ossos permaneçam fortes. Além disso, ajuda a regular os níveis de glicose no sangue e na produção de energia e proteína.

– Vitamina B6: é necessária para o funcionamento adequado dos açúcares, das gorduras e das proteínas no corpo. É também necessária para o crescimento e desenvolvimento adequado do cérebro, dos nervos, da pele e de muitas outras partes do corpo.